Curtume Natural de Peles

by | Jan 4, 2020 | Ancestral Skills, Hide Tanning, Sheepskins

O que é o Curtume Natural de Peles?

Curtir peles de animais para roupa é uma das artes humanas mais antigas à face da Terra, com milhares de anos. O curtume é o acto de transformar uma pele de animal crua em couro, que age e pode ser utilizado como um têxtil (as fibras tecidas pelos próprios animais). Através de diferentes métodos, uma pele de animal pode ser permanentemente transformada em couro, camurça ou numa pele curtida com pêlo. Para além de ser curtida, uma pele crua pode também ser seca e transformada em couro cru, muito útil para tambores, estojos de ferramentas, cintos, entre outros usos.

No curtume natural de peles não são utilizados químicos, apenas óleos e gorduras naturais, fumo e taninos de diferentes cascas de árvore e plantas. Pessoalmente, também não uso maquinaria, preferindo utilizar ferramentas manuais simples feitas de metal, osso, chifre e madeira. As peles que curto são resgatadas de animals mortos à beira da estrada, recolhidas antes de irem para o lixo, ou oferecidas por quem deseja honrar os animais que cuidaram.

Ao contrário da indústria do curtume baseada em crómio e outras toxinas, o curtume natural de peles é sustentável e respeita os animais, a terra, as águas e os antepassados. O resultado final é um material incrivelmente versátil, local e biodegradável, que pode durar uma vida se bem estimado.

 

Métodos de Curtume Natural de Peles

Existem muitas formas de curtir uma pele naturalmente. Os dois métodos que utilizo chamam-se Curtume com Gorduras e Curtume Vegetal.

Curtume com Gorduras

Neste método, utilizamos o cérebro do animal, ovos, óleos/gorduras naturais e fumo para curtir a pele. Este é um método que pode ser aplicado quer queiramos manter o pêlo ou não, o que significa que nos permite criar uma grande variedade de têxteis com ele. Quando queremos manter o pêlo, começamos por descarnar a pele e aplicar a solução no lado da membrana, continuando depois para o amaciar e fumar da mesma, sempre com cuidado em manter o pêlo intacto. O resultado é uma pele muito bonita e macia que pode ser utilizada como tapete ou como material para criar peças de roupa, malas, xailes, entre outros. Se o nosso objectivo for, por exemplo, fazer buckskin (camurça) – um material muito macio, respirável e flexível, perfeito para usar em roupa -, então alguns passos são adicionados, tais como os processos de remoção do pêlo e da camada superior da pele. Este é provavelmente o método mais antigo que existe, praticado por todos os nossos antepassados desde a Idade da Pedra. É bastaste intenso e trabalhoso, mas o resultado final é incrivelmente gratificante.

 

Curtume Vegetal

No método de curtume vegetal, o pêlo pode ser mantido e a solução de taninos aplicada no lado da membrana; ou então removido e a pele submersa numa solução de taninos durante semanas ou mesmo meses, dependendo da sua espessura e do produto final desejado. A casca ou plantas utilizadas para fazer a solução devem ser ricas em ácido tânico, o qual é o componente natural que curte a pele. Diferentes tipos de casca podem ser utilizados, tais como a de Carvalho, Salgueiro, Bétula, Mimosa e Eucalipto, bem como as folhas de arbustos como o Sumagre, entre muitos outros. Quando a pele está finalmente curtida, esta é oleada e amaciada até estar seca. O resultado final é um tipo de couro mais forte, ideal para sapatos, cintos, malas, e muito mais. Se curtida com pêlo, a pele resulta num tapete maravilhoso. É também possível fazer camurça com este método ao remover a camada superior da pele antes de a colocar na solução de taninos, originando um material com semelhanças ao buckskin do método anterior.

Porquê apoiar pequenos negócios de curtume tradicional ao invés de curtume industrial baseado em crómio?

A maioria do couro industrial é obtido através do curtume com crómio. Este couro é geralmente muito barato e pode ser produzido muito depressa, já que o processo é automatizado e terminado em pouco tempo. Podemos encontrá-lo em roupas, assentos de carro, sofás e sapatos. Porém, vem com um grande custo: a poluição dos cursos de água e problemas de saúde para os curtidores, populações humanas locais e comunidade não-humana (especialmente quando as águas residuais não são tratadas). Para além disso, o couro curtido com crómio não pode ser reciclado (a não ser que o crómio seja removido da pele) e não respira como aquele curtido naturalmente. Felizmente, existem ainda algumas fábricas de curtume que utilizam o método de curtume vegetal e, por isso, se estiveres à procura de couro industrial, certamente que apoiar estas fábricas é uma melhor escolha.

Porém, se desejas couro verdadeiramente sustentável e de alta qualidade, procura por pequenos negócios de curtume que seguem métodos naturais. Por detrás desses negócios estão pessoas que não só produzem o melhor couro que existe, mas também que colocam esforço em recuperar, testar, praticar e ensinar esta arte a outros. Produzir couro com ferramentas manuais simples e ingredientes naturais envolve muito trabalho, mas é uma arte importante de manter viva para as futuras gerações. Apoiar pequenos negócios de curtume com boas éticas significa apoiar a produção ética de couro e manter esta arte ancestral viva.

 

You may also like…

You may also like…

Rose Hip Syrup | Simple Recipe

Rose Hip Syrup | Simple Recipe

After sharing on Instagram about my first trials making Rose Hip Syrup, you asked me if I could share the recipe with...

How to make Black Mulberry Jam

A week or so ago, I went to visit a friend in the village. While talking about the idea of making blackberry jam, she...

0 Comments

Leave a Reply